Talita Daher, amiga linda & querida, acaba de lançar o blog GPS de Estilo. A partir do lançamento do Na Cozinha & de Salto Alto como .COM.BR participará como nossa colaboradora fashion! O assunto é uma paixão em comum: sapatos e + sapatos! Sempre! Convite aceito, aqui vai uma pequena “provinha” do talento dessa fashionista que promete e MUITO!


 Ex-modelo e atual editora de moda da L’Uomo Vogue, Giovanna Battaglia dispensa apresentações. Pode não agradar a todos, mas nunca passa despercebida. Sempre de cara lavada, mostra que menos é mais. Dona de um corpo esguio, adora mostrar as pernas – ela pode – e seus sapatos incríveis. 













Nenhum comentário
Antes de mais nada, desculpem o atraso… Esta postagem deveria ter ficado pronta ontem mas tomei uma surra do meu computador novo… By the way, quem souber de um curso de Mac para iniciantes me avisa!

————–

Ninguém como os americanos para celebrar Halloween, né?! Todo mundo fantasiado nas ruas, aquele alvoroço de crianças (adoram!), e um monte de idéias super originais – na fantasia, nos doces, decoração, etc.

Segue uma receita básica do “americaníssimo” cupcake e fotos para quem se animar na cozinha neste domingo. Como o cupcake é de chocolate, se a forminha for laranja (a cor oficial do Halloween) já fica bem legal.

Você vai precisar de uma forma de muffin e forminhas grandes para colocar a massa.

Massa:

3 ovos
300 gr de farinha de trigo
4 g de bicarbonato de sódio
1 pitada de sal
165 gr de manteiga sem sal
150 gr de açúcar mascavo
150 gr de açúcar
1 colher (café) de essência de baunilha
150 gr de chocolate 1/2 amargo derretido
30 gr de chocolate em pó
200 ml de leite integral

Numa batedeira bata a manteiga (na temperatura ambiente), o açúcar branco e mascavo até obter um creme homogêneo. Coloque os ovos 1 a 1. Adicione o chocolate em pó e o chocolate derretido. Coloque 100 ml de leite, a farinha de trigo peneirada, o sal e o bicarbonato e bata rapidamente. Coloque o restante do leite e misture até obter uma mistura cremosa.
Coloque as forminhas dentro do tabuleiro de muffin e despeje a massa dentro de cada uma deixando 1 espaço para o bolinho crescer (mais ou menos 1 dedo antes da borda da forminha).
Leve para assar no forno pré-aquecido (180 a 200 graus) por cerca de 20 minutos. Enfie um palito para verificar se o cupcake está assado.
Depois de esfriar decore com a cobertura. Você pode usar um saco de confeiteiro para fazer a forma de 1 grande suspiro encima do cupcake, ou, se não tiver, use uma faca ou espátula para cobrir (fartamente) o bolinho.





Cobertura:

1 lata de leite condensado
200 gr de creme de leite (sem o soro)
70 gr de chocolate em pó
25 gr de manteiga (com ou sem sal)

Misture todos os ingredientes numa panela e leve ao fogo (médio) sempre mexendo. Quando ferver, abaixe e fogo e continue mexendo até desgrudar do fundo da panela (como um brigadeiro).

* Estas fotos foram retiradas do site da Martha Stewart e Family Fun. 

Paris Devil & Dolly Pumpkin.

Com o Chapeleiro Maluco na maravilhosa festa de 15 anos da Nina.

3 comentários
Primeiro tenho que explicar a “Emily” (nome baseado no filme “O Diabo Veste Prada”)… Ela foi minha assistente no trabalho por um tempo. A Emily era folgada daquele tipo “sem noção”.

Pedir pra abrir meu requeijão que estava na geladeira (hummm…), comer meu requeijão (tudo bem), comer TODO o requeijão (hã?!), demorar 3 semanas para comprar outro?! Como disse, sem noção… Mas o pior mesmo foi quando ela me telefonou 1 da manhã de domingo para segunda, com uma voz ótima, para avisar que não ia trabalhar na segunda. Tragicômico, né?!


A equipe ficou meio chateada. Não pela saída da Emily em si, mas pela falta que o “bolo da mãe da Emily” iria fazer. Sim, por que todo o aniversário ou ocasião especial, a “Social-Emily” levava um bolo fresquinho de limão, verdinho, meio azedinho, que era o maior sucesso. Até então eu nunca tinha provado um bolo de limão igual, e era mesmo muito gostoso.


Eu tinha que fazer alguma coisa! Eu tinha que achar uma receita igual ou pelo menos parecida para a equipe “órfã do bolo da mãe da Emily”. A Emily nunca deu a receita do famoso bolo, dizia que era um super segredo da mãe, etc, etc.


Mas hoje tem internet… Uma maravilha pra quem tenta achar qualquer coisa, e um desastre para quem faz de suas receitas um “segredo de família”, como a Emily. Pesquisei, pesquisei, e achei! Fiz um bolo que parecia ser igual e levei de surpresa pro trabalho.


Resultado: era idêntico ao “bolo secreto”! Foi totalmente aprovado por todos, e ainda hoje é um dos mais pedidos nos aniversários. Faço com prazer! E com mais prazer ainda dou a receita pra todo mundo que pede. É super fácil!


Só não sabia de uma coisa… e só na internet descobri… A mãe da Emily… Adivinhem… Pelo visto é a Ana Maria Braga! Afinal, foi no site dela que achei 2 versões desse bolo “segredo de família”…


Vamos ao bolo!

Massa:
4 ovos
1 copo de iogurte natural
½ copo de óleo (pode usar o copo de iogurte mesmo)
1 pacote de gelatina sabor limão
1 pacote de mistura para bolo sabor limão
1 colher (sobremesa) de fermento em pó

Bata no liquidificador os ovos, iogurte, óleo, gelatina, e a mistura para bolo. Quando a mistura estiver homogênea, acrescente o fermento e misture. Como a mistura vai ficar espessa, pode ser que o liquidificador não tenha potência para misturar. Não tem problema. Tire o liquidificador da tomada, pegue uma espátula ou colher de pau e misture à mão.

Unte uma forma de bolo com óleo e farinha de rosca. Despeje a massa e leve ao forno.

Eu uso aquela forma com buraco no meio mas, se preferir, pode ser tabuleiro.

Asse por cerca de 40’ em forno médio.

* Enquanto o bolo está no forno faça a cobertura.

Cobertura:
1 lata de leite condensado
Suco de limão a gosto (2 a 3 limões) coado.
Raspas de limão

Bata no liquidificador todos os ingredientes e leve à geladeira para deixar o creme mais consistente.

Desenforme depois de o bolo esfriar.

Coloque a cobertura e por cima raspe a casca de 1 limão para enfeitar.

1 comentário

Sim! Porque este site trata de 2 paixões: culinária & sapatos!

As fotos foram tiradas na Saks 5th Avenue, em NYC, onde a gentilíssima Marisol deixou que eu registrasse os sapatos da “estação” que mais gostei. Sempre achei a Saks o melhor lugar de comprar sapatos porque você encontra todas as marcas num só lugar, sem ter que ficar andando quarteirões e quarteirões…

Louboutin

Jimmy Choo


Este aí de cima dizem que de tão confortável pode ser usado 24 horas, 7 dias da semana, daí ser batizado de “24:7″ (Twenty-Four/Seven)! A primeira que fizer o teste avisa!

Chloé

Chanel

Yves Saint Laurent

 E pés exaustos no metrô de NY – meus, claro! Sapatilha DVF.

1 comentário

Sobremesas

Crème Brûlée

Por Nana Guimarães

Era 1997, estava morando em Nova Iorque, e até então nunca tinha ouvido falar em crème brûlée. Foi lá que assisti “O Casamento do Meu Melhor Amigo”, e nesse filme, se vocês não lembram, tem um diálogo entre a Julia Roberts (Julianne) e a Cameron Diaz (Kimmy) sobre crème brûlée x gelatina. Algumas pessoas são crème brûlée, outras gelatina… Gosto é gosto…
Julianne: Okay, you’re Michael, you’re in a fancy french restaurant, you order… crème brûlée for dessert, it’s beautiful, it’s sweet, it’s irritatingly perfect. Suddenly, Michael realises he doesn’t want crème brûlée, he wants something else.

Kimmy: What does he want?


Julianne: Jello.


Kimmy: Jello?! Why does he want jello?


Julianne: Because he’s comfortable with jello, jello makes him… comfortable. I realise, compared to crème brûlée it’s… jello, but maybe that’s what he needs.


Kimmy: I could be jello.


Julianne: No! Crème brûlée can never be jello, you could never be jello.


Kimmy: I have to be jello.


Julianne: You’re never gonna be jello.

Saí do cinema com um desejo: provar o tal creme que arrasa a pobre da gelatina – “lindo, doce e irritantemente perfeito”! E foi paixão à primeira colherada! O local: Balthazar, restaurante que até hoje freqüento quando vou a NY (80 Spring St.). A sobremesa, claro, é sempre a mesma…

Muito tempo depois comprei um maçarico, testei váriasss receitas e voilá!

Aqui vão 3 variações: crème brûlée tradicional, com capim santo, e na tortalete.

Apesar de fácil de fazer, é preciso ter cuidado para o creme não talhar em 2 momentos: quando levar ao fogo e ao forno.

Ah, e tem que ter o maçarico! Aproveite a receita  e compre um, é um charme e dá uma sensação poderosa de “As Panteras”. Descobri que ele também é bastante útil quando não acho fósforo para acender as velas… Mas cuidado ao manuseá-lo, OK?!

O CRÈME BRÛLÉE TRADICIONAL

Ingredientes:

6 gemas
100 gramas de açúcar de confeiteiro
600 ml de creme de leite fresco
1 fava de baunilha
Açúcar demerara

* Você vai precisar de: 6 ramekins e maçarico.

Etapa 1: bata as gemas com o açúcar até ficarem esbranquiçadas (com um batedor de clara = fouet ou garfo). Reserve. Faça um corte longitudinal na fava de baunilha e leve ao fogo com o creme de leite, mexendo sem parar até esquentar bem, mas não deixe ferver. Você vai reparar que os pontinhos pretos da baunilha vão aparecer no creme.

IMPORTANTE: não deixe ferver, do contrário o creme vai talhar.

Etapa 2: retire do fogo e vá colocando o creme, aos poucos, na mistura de ovos e açúcar, e misture ligeiramente com o batedor (fouet) . Leve ao fogo essa mistura (com a fava de baunilha) e mexa sem parar até engrossar (+ – 10 a 15 minutos). NÃO DEIXE FERVER. Retire do fogo, tire a fava de baunilha. Despeje o creme em ramekins (até a metade de sua altura). Dá uns 6.

Etapa 3: Coloque os ramekins em banho-maria numa assadeira (a água deve bater na metade do pote), e leve ao forno pré-aquecido (180 a 200º). Asse por aproximadamente 50 minutos ou até ficar firme. CUIDADO PARA A ÁGUA DA ASSADEIRA NÃO FERVER, senão o creme vai talhar.

Etapa 4: retire os ramekins da assadeira e deixe esfriar. Coloque-os na geladeira. Eu gosto de deixar bastante tempo na geladeira, às vezes de um dia pro outro. Uns 10’ antes de servir, retire da geladeira e polvilhe a superfície com açúcar demerara, retirando o excesso. Queime o açúcar com o maçarico, fazendo movimentos circulares até caramelizar. Sirva!

PS 1. Prefira os ramekins mais altinhos (como o redondo que está nas fotos) porque eles vão ao forno em banho-maria.

PS 2. Se você errar o ponto do creme, é bem provável que ele amoleça um pouco ao caramelizar o açúcar. Se isso acontecer, leve os ramekins de volta à geladeira e sirva uns 15 ou 20’ depois.

PS 3. Acho divertido levar o maçarico à mesa e deixar meus convidados “brincando de caramelizar” a própria sobremesa. Eu já vi amiga que “se apegou tanto” que queria caramelizar o crème brûlée de todo mundo – foi um custo fazer ela largar o maçarico; e de outro amigo, que estava com o maçarico na mão, escutei: “nasci pra fazer isso”!

PS. 4. A fava de baunilha não pode ser substituída por “extrato de baunilha”. Nem pensar, OK?! A fava é uma marrravilha! Deixa uns pontinhos pretos no creme, que dão o sabor da verdadeira baunilha. Aliás, se você provar 1 crème brûlée sem esses pontinhos pretos pode saber… é 1 farsa! E depois de fazer o crème brûlée, você pode lavar a fava com água, e colocar no açucareiro – sempre faço isso – é o chamado “açúcar baunilha”, que uso pra tudo.

CRÈME BRÛLÉE COM CAPIM-LIMÃO

Foi a primeira vez que fiz esta variação e adorei o resultado! Vou fazer sempre. Ficou delicado, suave, e  mais perfumado… 

Ingredientes:

Os mesmos da receita tradicional + um punhado de capim-limão (também conhecido como capim-santo ou capim cidreira).

A receita é idêntica à anterior, a única diferença é que ao levar o creme ao fogo para engrossar (etapa 2), você vai adicionar o capim-limão, amassando-o antes com as próprias mãos.

Quando a mistura estiver consistente (lembre: não deixe ferver!), retire do fogo. Tire a fava de baunilha e o capim -limão. Coloque o creme nos ramekins e siga as etapas 3 e 4.

CRÈME BRÛLÉE NA TORTALETE

Servir o crème brûlée na tortalete é diferente e charmoso. A massa é fácil de fazer e fica uma delícia, bem amanteigada, mas a receita exige tempo… é melhor você fazer de um dia pro outro…

Créme brûlée: mesmos ingredientes do “tradicional” ou com capim santo.

Ingredientes da massa:

150 gr de farinha de trigo (e mais um pouco para abrir a massa)
25 gr de açúcar
125 gr de manteiga gelada com sal
1 colher (sopa) de água

Corte a manteiga gelada em quadradinhos. Numa vasilha misture, com as mãos, a manteiga, o açúcar e a farinha até ficar uma mistura esfarelada. Adicionar a colher de água e amassar com as mãos toda a mistura até obter uma massa homogênea e macia. Faça uma bola, enrole com filme plástico e leve à geladeira por 30’.

Retire da geladeira, corte em 6 pedaços, e abra a massa (com um rolo, uma garrafa ou até com as mãos) numa superfície enfarinhada. Procure dar à massa uma espessura de + – 5 cm. Molde a massa nas forminhas de tortaletes, e fure toda a base com um garfo. Leve à geladeira por 20’.

Retire da geladeira e cubra as forminhas com papel alumínio, fazendo o papel encostar na base e nas laterais internas. Encima do papel coloque uns grãos de feijão crus. Leve ao forno pré-aquecido por 15’. Retire o papel alumínio e os feijões, e retorne ao forno por mais 15’ ou até a massa ficar dourada e crocante como um biscoito amanteigado. Retire do forno e deixe esfriar.

A essa altura você já preparou o crème brûlée até a “etapa 2”. Deixe esfriar um pouco, e ao invés de colocar o creme nos ramekins você o colocará nas tortaletes (tanto faz se for o tradicional ou com capim-limão).

Deixe as tortaletes de 1 dia pro outro na geladeira.

No dia seguinte, polvilhe o creme com o açúcar demerara (retirando o excesso) e queime-o com o maçarico. Retire da forminha e sirva.

Se preferir, caramelize o açúcar com o maçarico e leve novamente à geladeira antes de servir. Retire da forma e voilá!

PS 1. O tamanho da tortalete vai depender de você. Dá até pra fazer em forminha de empadada.

PS 2. Ao invés de colocar o açúcar demerara e caramelizar – é isso que dá o aspecto de crème brûléé – você pode colocar encima do creme um pouquinho de geléia (framboesa, frutas vermelhas, cassis) no centro e decorar com framboesa, blueberry ou cassis. Fica lindo e é uma delícia.

Vamos às fotos!

Esta “belezura” é a fava de baunilha!

O famoso maçarico

Tortaletes furadinhas e já assadas

Olha que beleza! Com o crème brûléé – repare os pontinhos da baunilha

Outra “belezura da natureza” – Capim-Limão (colhi no jardim!)

As 3 versões de crème brûlée, já com açúcar mas esperando a ação do maçarico.

Da esquerda pra direita: tradicional, na tortalete e capim-santo

O maçarico já esteve por aqui. Pronto pra servir!

E o grand finale!!!

O vídeo “crèmme brûlée vs gelatina” no ”O Casamento do Meu Melhor Amigo” (você também tem 1?! O meu A-D-O-R-A gelatina…)


3 comentários

« Posts mais antigos

Posts mais recentes »

Na Cozinha & De Salto Alto

Features Stats Integration Plugin developed by YD